Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

Workshop apresenta fundos de investimentos para associados da Deatec

Notícia
28/08/2017 09:29
Deatec, deatec@deatec.org.br

Soluções que atraem investimentos, fundos de capital de risco e financiamentos foram apresentados durante o 2º Workshop Investor Day, nessa semana, em Chapecó. O evento foi promovido pela Associação Polo Tecnológico do Oeste Catarinense (Deatec) com apoio do Banco Regional do Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) e foi direcionado aos associados da entidade.

O gerente regional Oeste Catarinense do BRDE, Paulo César Antoniollo, explanou sobre o Programa BRDE Inova que apresenta condições diferenciadas para projetos de inovação. “A equipe do BRDE foi capacitada para atender essas demandas, nos aproximamos de parceiros operacionais, como a Deatec, e flexibilizamos as garantias reais”. De 2013 a julho de 2017 o BRDE Inova disponibilizou R$ 493,7 milhões, mais de R$ 54 milhões para o Oeste catarinense. Os principais programas para financiar a inovação são o BNDES MPME Inovadora, FINEP Inovacred e FINEP Inovacred Expresso.

O analista da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), João Florêncio da Silva, explicou que o objetivo da empresa é atuar em toda a cadeia da inovação, com foco em ações estratégicas, estruturantes e de impacto para o desenvolvimento sustentável do Brasil. A política operacional da Finep envolve convênios, os programas Inovacred e Tecnova, fundos, subvenção e crédito. As linhas de ação englobam inovação crítica, pioneira, para a competitividade, para o desempenho, pré-investimento e difusão tecnológica. “Para um projeto ser aprovado é levado em consideração o grau e a relevância da inovação”, frisou.

As vantagens da Agência de Fomento do Estado de Santa Catarina (Badesc) para empresas inovadoras foram apresentadas pela gerente regional Margarete De Marchi. Entre elas estão a recomposição dos investimentos dos últimos 12 meses, apoio à importação de equipamentos, prazo de análise e liberação compatível, concessão de crédito na justa medida das necessidades e manutenção do limite de crédito com outros bancos comerciais. “As empresas inovadoras crescem 16% a mais que as não inovadoras, são 31% mais produtivas, o salário dos colaboradores é 28,3% acima e exportam 12% a mais em valor em relação as empresas não inovadoras”, expôs Margarete. Ela destacou ainda a parceria do programa Inovacred Espresso com a Deatec e outras entidades.

A importância da elaboração de bons projetos foi destacada pelo gerente executivo do Instituto Euvaldo Lodi de Santa Catarina (IEL/SC), Natalino Uggioni. A entidade da Federação das Indústrias de Santa Catarina (FIESC) possui mais de 47 anos de atuação e oferece soluções em educação, inovação e gestão. Na área de gestão da inovação atua com elaboração e gerenciamento de projetos e o programa Inova Talentos. Uggioni enfatizou que é fundamental conhecer as fontes de fomentos existentes no País. Além das apresentadas no workshop citou a Fapesc, editais do SESI, SENAI e CNI, Sebrae, CNPq, Lei do Bem, Lei de Informática, Embrapii e o Prêmio Nacional da Inovação. “Para conseguir os recursos as empresas precisam se preparar. A maior parte das negativas acontecem pela qualidade e conteúdo do projeto, não pela ideia de inovação”, ressaltou.

Os produtos e serviços da Sicredi Região da Produção RS/SC foram expostos pelo assessor de negócios da área de crédito, Amauri Corrêa. A cooperativa de crédito possui um convênio com a Deatec com taxas de juros diferenciadas. Os produtos disponíveis são antecipação de recebíveis e de recebíveis cartões, capital de giro, investimento empresarial e crédito com garantia de aplicações financeiras. “O acordo de cooperação com a entidade beneficia os associados e valoriza o setor de tecnologia e inovação da região. O Sicredi possui linhas de crédito para inovação em parceria com o BRDE e quer participar do desenvolvimento do segmento”, salientou Corrêa.

O presidente da Deatec, André Telöcken, realçou que o evento teve a intenção de estimular a inovação e contribuir com as empresas associadas para a resolução de problemas. “Esses fundos de investimentos são uma oportunidade de expandir os negócios e crescer com a colaboração de profissionais reconhecidos no mercado, contribuindo para as empresas se manterem competitivas”, finalizou.