Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

Deatec discute atuação do setor de tecnologia em reunião na Acate

Notícia
17/02/2017 11:39
Deatec, deatec@deatec.org.br

Alinhar ações para este ano e discutir como desenvolver o segmento de tecnologia em todo o Estado de Santa Catarina foram objetivos da reunião promovida pela Associação Catarinense de Empresas de Tecnologia (Acate), nesta semana, em Florianópolis. A Associação Polo Tecnológico do Oeste Catarinense (Deatec), de Chapecó, participou do encontro, que contou com a presença de diretores e patrocinadores institucionais da Acate, integrantes da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (FIESC), da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e Sustentável (SDS) e dos polos de tecnologia da Grande Florianópolis, Vale do Itajaí, Norte, Serra e Sul catarinense.

Participaram da reunião o diretor Financeiro, Cesar Bortolini, e o gerente executivo da Deatec, Rafael Miotto. De acordo com Bortolini, Santa Catarina apresenta bons números no segmento, sendo um dos únicos Estados brasileiros que apresentou crescimento. “Estima-se que o setor represente cerca de 5% da economia do Estado, com R$ 11,4 bilhões de faturamento. O Oeste é uma região de destaque e discutir, de forma conjunta, ações para fortalecer o segmento é importante para entendermos quais são os gargalos e oportunidades existentes para as empresas”, avaliou.

Durante a reunião, o diretor de Ciência, Tecnologia e Inovação da SDS, Jean Vogel, apresentou os centros de inovação do Estado. As obras de Chapecó, Blumenau e Jaraguá do Sul estão avançadas. O coordenador do Observatório da Indústria Catarinense, da FIESC,Sidnei Manoel Rodrigues, explanou sobre o planejamento a médio e longo prazo para as indústrias. Segundo ele, o setor de TI é uma das principais áreas a serem desenvolvidas.

A diretoria da Acate expôs algumas ações previstas para 2017. Entre elas, a inauguração de um laboratório que permitirá a integração entre grandes empresas e startups, novos benefícios aos associados e a aproximação com os polos tecnológicos de todas as regiões do Estado. O presidente Daniel Leipnitz frisou que o planejamento estratégico da entidade foi desenvolvido entre outubro e dezembro de 2016 após um diagnóstico com associados, instituições, startups e polos tecnológicos. “Identificamos uma carência da presença da Acate no interior. Nossa intenção é nos aproximarmos mais, conhecer melhor as realidades regionais e saber o que vale a pena oferecer para as empresas de cada região”, finalizou.