Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

Colaboração é a palavra de ordem

Notícia
03/01/2016 23:12
Deatec, deatec@deatec.org.br

Apesar do cenário de crise econômica instalado no Brasil, pode se dizer que o setor de Tecnologia da Informação andou na contramão das previsões em 2015. As empresas cresceram e contrataram mais mão de obra, e se não contrataram, pelo menos não demitiram. Praticamente dependente de produção intelectual, o setor configura, hoje, entre os mais promissores e atraentes para investimentos. No âmbito regional, a Associação Polo Tecnológico do Oeste Catarinense, por meio do associativismo vem contribuindo para o desenvolvimento e consolidação das empresas.

Nesta entrevista, o presidente da entidade César Bortolini fala sobre o setor, avalia o cenário atual e aponta perspectivas para o próximo ano.

Neste ano de 2015, a Deatec comemorou 10 anos, quais foram os principais desafios?

CÉSAR BORTOLINI – Um dos grandes desafios da Deatec, nos seus primeiros anos, foi o fortalecimento institucional e, graças ao esforço e dedicação dos empresários associados, cada vez mais a entidade se torna referência quando se trata de tecnologia da informação e inovação em nossa região. Após essa fase inicial, a Deatec passou por uma reestruturação e um planejamento para fortalecer seu crescimento. Com isso, foi criado o cargo de diretor executivo, ocupado pelo gerente Gean Centenaro e mudamos para uma sala da Unochapecó.

Quais foram as principais conquistas?

BORTOLINI - A Associação Polo Tecnológico do Oeste Catarinense foi criada em 2005 por um grupo de empresários, e teve como modelo de referência outros polos de tecnologia como a ACATE por exemplo. O Sebrae foi um dois principais parceiros da entidade desde o início promovendo projetos como APL (Arranjo produtivo local) e o SEBRAETEC entre outros, que proporcionaram a criação de diversos projetos direcionados para as empresas de Tecnologia.

Em conjunto com o Núcleo das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (NTIC) da ACIC, criamos a feira de tecnologia EXPEN, espaço onde as empresas podem mostrar seus produtos e serviços, mas também trazer conhecimento para nossa região, feira essa que detém o recorde absoluto de lotação do centro de eventos em um único dia. Também criamos o Projeto do Condomínio Tecnológico, o projeto de Incentivo Fiscal de Chapecó, que pretendemos estender a outros municípios, projeto que concretiza o apoio do poder público municipal ao nosso setor, e torna as empresas mais competitivas no senário nacional; e conquistamos a aprovação da Lei Municipal da Inovação, primeira do estado de Santa Catarina, e através dela, foi formado um conselho municipal, que tratar de forma exclusiva os assuntos ligados a tecnologia e inovação.

Em 2015, sob a sua gestão, algum destaque específico?

BORTOLINI

Esse último ano mudamos nossa sede para o espaço de Cooworking do CESEC; criamos o projeto das verticais de negócio, que reúne empresas para fortalecimento e até mesmo pra criação de novos produtos; e estamos participando e apoiando na criação do nosso Centro de Inovação e Parque Tecnológico Chapeco@, que com certeza vai gerar bons frutos. Junto com o Sebrae organizamos a Semana de Ciência e Tecnologia, a qual oportunizamos a toda a região ouvir, por meio de teleconferência, a visão de um funcionário da GOOGLE sobre o tema “Como criar um ambiente Inovador. Entre outras várias ações que realizamos, sempre buscando associativismo e parcerias.

Como acredita que a Deatec é vista hoje na sociedade chapecoense?

BORTOLINI - Hoje, após 10 anos, a Deatec se apresenta como uma entidade que representa não apenas seus associados, mas um setor da economia que se mostra cada vez mais importante no cenário econômico e social. Sempre, inovando e procurando o crescimento através de ações.

Todos os anos, a Deatec premia um empresário que tenha se destacado entre seus pares. O vencedor do pleito neste ano foi o empresário Ernani Zottis. O que esse prêmio significa?

BORTOLINI Esta solenidade se transformou um dos momentos mais importantes da comunidade empresarial Oestina. Esta iniciativa da Deatec, em sua sexta edição, tornou-se uma homenagem muito especial para os empresários que se destacam por suas ações. O prêmio deste ano, conferido ao empresário e líder no setor Ernani Zottis, foi merecido, pelo exemplo como empresário de sucesso e como um líder que sempre se destaca por onde passa. Esse prêmio está, com certeza, em mãos merecedoras, pois todos sabem da dedicação e comprometimento em tudo que ele faz. Por tudo isso, nosso troféu se torna cada vez mais valoroso.

Mais uma vez, uma empresa associada à Deatec conquista o MPE Brasil – fase estadual. O que isso representa para a entidade?

BORTOLINI – O MPE – fase estadual - foi conquistado pela empresa Zetta Brasil, representada pelo empresário Wilson Savegnago, que merece nosso reconhecimento. Conquistar o MPE demonstra comprometimento dos empresários e o fato de ser, mais uma vez, uma associada à Deatec, nos enche de orgulho. Acreditamos que é uma demonstração de que a entidade partir de suas discussões e proposições contribui para elevar o nível das empresas e a qualidade dos produtos e serviços por elas disponibilizados. Desejamos continuar neste patamar de ter nossas associadas entre as melhores do país. Parabéns à Zetta e a toda a equipe.

Recentemente, a Deatec promoveu uma missão ao Vale do Silício que contou com apoio do Sebrae e adesão de entidades empresariais e empresários. Qual sua avaliação desse momento?

BORTOLINI – No Vale do Silício pudemos constatar como as empresas estão, cada vez mais, pensando globalmente e agindo local e regionalmente. Cientes de que estamos no caminho certo e que podemos ir muito longe com o apoio de todos, gostaria de agradecer, a todos que direta ou indiretamente apoiam a Deatec, pois entendo que, somente podemos alcançar nossos objetivos com COLABORAÇÃO.